Saúde e Dieta

Diabético pode comer ovo? Descubra se é mito ou verdade!

Apesar de ser rico em diversos nutrientes essenciais à saúde, houve um tempo em que o ovo também foi considerado um grande vilão da saúde. Isso por causa de estudos mais antigos que mostraram que a ingestão do alimento poderia aumentar os ricos de doenças cardiovasculares, tais como AVC e insuficiência cardíaca, devido à presença do colesterol dietético em sua composição.

No entanto, depois de tanta polêmica para saber se o ovo faz mal ou não à saúde, com o avanço da medicina, algumas pesquisas mais recentes conseguiram comprovar que não há correlação entre o consumo do alimento e o desenvolvimento de doenças no coração. Ao contrário disso, a inserção desse alimento no cardápio diário pode fazer muito bem ao nosso organismo.

Dentre os seus benefícios estão prevenção de doenças nos olhos, tais como catarata e degeneração macular, além de ajudar a emagrecer, promover a maior sensação de saciedade, aumento da testosterona e auxílio no ganho de massa muscular.

Por outro lado, nem todo mundo pode se beneficiar das propriedades nutricionais deste poderoso alimento, como é o caso de quem tem alergia a ovo. E, neste sentido de entender possíveis restrição ao consumo do alimento, outra dúvida também fica no ar: diabético pode comer ovo? Esse é o assunto do nosso artigo de hoje, onde você vai descobrir se isso é mito ou verdade!

Vamos lá?

Ovos e diabetes: o que diz a ciência

O consumo de ovos por pacientes diabéticos já é objeto de estudo da ciência desde a metade do século XX, em todo o mundo. Mas foi apenas mais recentemente que alguns estudos sobre o tema conseguiram trazer conclusões mais precisas nessa área.

Uma delas foi o estudo Framingham, que testou e analisou os efeitos da ingestão de ovos no organismo por 24 horas, em homens e mulheres, em quantidades diferentes, por um mesmo período de tempo. O grupo de homens consumiu 6 ovos por semana, em média, e o grupo das mulheres ingeriu cerca de 4 unidades semanais.

A conclusão da pesquisa foi que não houve alterações cardíacas nos voluntários que seguiram a dieta. No entanto, aqueles que consumiram maiores quantidades de ovos, apresentaram grandes chances de desenvolver diabetes mellitus tipo 2.

Além disso, outros dois estudos feitos pelo Nurses’ Health Study (NHS) e pelo Health Professionals Follow-Up Study (HPFS), realizados com 120 mil participantes, demonstrou que aqueles indivíduos que já tinham diabetes e consumiram mais de uma unidade de ovo por dia apresentaram maiores chances de desenvolver doenças no coração.

Enquanto isso, um estudo realizado pelo Heart Protection Study (HPS) apontou uma maior possibilidade de risco de acidente vascular cerebral (AVC), infarto do miocárdio e até de morte no caso de pessoas com diabetes que consumiram mais de 7 ovos por semana.

Depois de todos esses dados, com certeza, você deve estar pensando que a dúvida se diabético pode comer ovo já está mais que respondida, não é mesmo? Mas calma aí! Porque toda história – mesmo que seja baseada em estudos científicos – tem o outro lado…

No entanto, apesar desses estudos terem chegado a essas conclusões, o fato é que eles são passíveis de discussões. Isso porque todas as pesquisas foram realizadas com pacientes americanos, ou seja, pessoas que já são conhecidas no mundo todo por não seguirem uma dieta saudável. Além disso, essas mesmas pesquisas mostraram apenas uma relação estatística entre a ingestão do alimento e o risco que não podem comprovar que os ovos sejam diretamente os causadores das doenças.

Portanto, podemos dizer que encontramos até aqui apenas uma possibilidade, e não uma certeza. Em contrapartida, outros estudos diferentes realizados em países com uma população com índice melhor de alimentação saudável demonstraram outros resultados.

Afinal, alguns especialistas afirmam que nenhum alimento sozinho é capaz de causar ou piorar os sintomas da diabetes mellitus. Na realidade, existem outros fatores que podem influenciar diretamente no desenvolvimento da doença, como é o caso da predisposição genética.

Entretanto, em todo caso, enquanto ainda não existe uma resposta final da ciência, os médicos não recomendam que os pacientes diabéticos consumam ovos em quantidades excessivas, assim como pessoas que não possuem a doença. A quantidade ideal de unidades por semana seria de, no máximo, 6 ovos.

Além disso, também é necessário ficar atento à forma como o ovo é preparado, como vamos falar mais detalhadamente nos próximos parágrafos!

Veja também: Pode dar ovo para animais? Tire aqui as suas dúvidas!

5 dicas para quem é diabético comer ovo com tranquilidade

O modo de preparo e consumo do ovo por pacientes diabéticos – ou não – é um ponto importante a ser cuidado. Afinal, qualquer alimento em excesso faz mal e, para isso, é preciso que sejam ingeridos nas doses certas e receitas balanceadas. Confira algumas dicas para quem é diabético comer ovo sem dores de cabeça!

1 – Prefira o ovo cozido

Optar por cozinhar o ovo em vez de fritar ajuda a eliminar as gorduras presentes no alimento que são prejudiciais à saúde. Ainda, essa versão é bem menos calórica (com apenas 75 calorias, enquanto o ovo frito contém, em média, 107 calorias).

Veja também: Ovo cozido: como fazer sem errar com 6 dicas infalíveis!

2 – Adicione ovos à sua salada

Adicionar ovos à salada é uma excelente maneira de enriquecer o prato com uma boa dose de proteínas, além de deixá-lo muito mais saboroso. Afinal, como você sabe, muita gente reclama de te que comer vegetais, por acharem sem sabor, e o ovo pode dar aquele toque mais delicioso na hora do almoço ou jantar.

3 – Fritando ovo na água

Você já imaginou fritar um ovo sem manteiga ou óleo? Pois bem! Pois, se ainda não sabia, existe uma maneira de fritar o alimento usando apenas água, ideal para deixar o preparo menos gorduroso e mais saudável.

Isso porque até mesmo os óleos vegetais, como o óleo de coco, de linhaça, de oliva, de girassol, de milho, de soja e tanto outros, não são assim tão saudáveis quanto pensamos, uma vez que podem se transformar em gordura trans quando em contato com o calor, perdendo todos os seus benefícios.

Logo, em vez de usar qualquer tipo de manteiga ou óleo, a dica é fritar ovo com água. Para isso, basta adicionar o equivalente à metade de um dedo de água à frigideira e, quando levantar fervura, quebrar o ovo dentro. Prontinho! O seu ovo está frito do mesmo jeito, só que bem mais leve e saudável, com as mesmas calorias de um ovo cozido.

4 – Aposte nos legumes

Não gosta muito de comer ovo simples? Então, aposte em uma omelete cheia de legumes para deixar o seu almoço ou jantar mais saboroso.

Adicione chuchu, tomate, cenoura, cebola, abobrinha e outras opções a mais que quiser de legumes ralados ou fatiados. Além de deixar a sua omelete deliciosa, essa dica também pode deixar a refeição muito mais saudável.

5 – Prepare uma omelete assada

Mais uma vez, se a ideia é deixar o consumo de ovos mais saudável para um paciente diabético é fazer uma omelete assada, em vez de frita. A versão assada da receita pode ajudar a evitar as gorduras presentes em óleos ou manteigas usados para fritar a omelete.

Em vez disso, opte por despejar os ovos já batidos em uma assadeira untada e enfarinhada ou, melhor que isso, em uma forma antiaderente. Leve a omelete ao forno para assar e pronto! Pode degustar à vontade e sem medo.

E aí? Esse artigo te ajudou a saber se diabético pode comer ovo? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais para que outras pessoas também descubram a resposta.

Até a próxima!

Faça um Comentário!

Clique aqui para postar um comentário