Receitas com Ovo

Ovo em pó: saiba os benefícios e como fazer em casa

Este alimento, prático e versátil, já foi vilão e mocinho nas cozinhas brasileiras. E, apesar de muitas pessoas terem dúvidas se o ovo faz mal ou não, devido à presença do chamado colesterol dietético em sua composição (diretamente associado ao risco de doenças cardiovasculares e circulatórias), o fato é que essa correlação entre o seu consumo e malefícios à saúde nunca foi uma certeza. Afinal, tudo depende diretamente do estilo de vida de cada pessoa, alimentação e predisposição genética.

Por outro lado, o que podemos afirmar é que o alimento mais comumente encontrado em todas as geladeiras do mundo é rico em proteínas e outros nutrientes e, portanto, pode trazer benefícios à saúde, como auxiliar no ganho de massa muscular, emagrecimento e aumento dos níveis de testosterona (outro ponto positivo para o crescimento dos músculos).

Por isso, o seu consumo cresceu bastante nos últimos anos, especialmente entre atletas profissionais e praticantes de atividades físicas, além de adeptos ao estilo de vida fitness. Inclusive, graças a sua versatilidade, as formas de consumo do ovo também ficaram diversificadas, sendo possível consumi-lo frito, cozido, poché, mexido, entre outras receitas deliciosas.

E agora, mais recentemente, outra versão do alimento também está ganhando fama: o ovo em pó. Nunca ouviu falar? O chamado ovo pasteurizado ou processado vem conquistando cada vez mais espaço da cozinha das donas de casa a fim de facilitar a rotina no preparo de refeições, suplementar outros alimentos com propriedades proteicas e prevenir ainda mais a proliferação de doenças e bactérias causadas pelo consumo de alimentos crus, como é o caso da salmonella.

Quer saber quais são os benefícios do ovo em pó e como fazer em casa? Então, continue de olho nos próximos parágrafos que eu te conto tudo!

Veja também: Como fazer ovo no microondas passo a passo

O que é o ovo em pó?

ovo em pó – também conhecido como ovo seco – foi inventado pelo químico William A. Mitchell e foi bastante consumido durante o período de racionamento civil na Segunda Guerra Mundial, principalmente entre soldados norte-americanos e no Reino Unido. É isso mesmo! Apesar de ter caído no gosto popular só recentemente, essa versão do alimento é realmente antiga, como você pode perceber.

Dentre as suas vantagens, podemos destacar a redução no risco de contaminações por bactérias, como é o caso daquela que causa a doença de salmonella, além da facilidade para o armazenamento, transporte e uma série de vantagens também para empresas que atuam no ramo de alimentação e trabalham diretamente com receitas com ovos.

Mas como ele é feito? Na prática, trata-se de um ovo normal desidratado, que durante a fabricação em uma indústria específica é resfriado a 10°C para aumentar o seu tempo de conservação. Em seguida, o ovo é lavado com detergente alcalino, enxaguado em água com cloro e depositados em uma máquina de quebra automática.

Neste momento, a clara é separada da gema e as duas são filtradas para evitar a descarga com possíveis resíduos da casca. Feito isso, as gemas e claras são depositadas em tanques homogeneizadores, para serem misturadas mais uma vez. Já na próxima fase, o ovo passa pelo processo de pasteurização, deixado a uma temperatura de inativação das salmonellas e, em seguida, resfriado a 4°C, causando um choque térmico em qualquer bactéria existente no alimento.

Após isso, o ovo, que está em estado líquido, é colocado em tanques isotérmicos de inox, onde ele é mantido até chegar a fase de ser bombeado para o local de desidratação. Depois, após o ovo líquido ser transformado em pasteurizado, o alimento vai para a chamada planta de desidratação, momento em que ele é filtrado mais uma vez.

Em seguida, ele é aquecido a 220 °C e descarregado em um transportador. Depois disso, o ovo é peneirado e colhido em sacosque, por sua vez, são fechados e colocados sobre estrados, em um ambiente arejado e seco.

É válido lembrar que, dentro das indústrias, não há contato humano com o alimento durante o processo de fabricação, com o intuito de evitar qualquer tipo de contaminação. Depois de pronto, a partir do fechamento das embalagens, a data de validade do ovo em pó é de um ano.

É claro que todo esse processo de preparo do ovo em pó que mostramos aqui é feito dentro das indústrias, a partir de máquinas específicas. No entanto, mais à frente, nós vamos te ensinar como você pode preparar o alimento em casa, de forma simples e prática. Continue lendo!

Quais são os benefícios?

O ovo em pó pode trazer vários benefícios, inclusive, os mesmos que em sua versão in natura, e também à rotina de pessoas adeptas a uma alimentação rica desse alimento. Isso porque o valor nutricional do ovo em pó é o mesmo que o da sua versão natural. Portanto, você pode obter as mesmas propriedades proteicas para auxiliar no emagrecimento e ganho de massa muscular, por exemplo.

Além disso, por ser ainda mais prático, devido ao fácil armazenamento e transporte em comparação ao ovo normal, o ovo em pó também pode ajudar quem tem uma rotina muito corrida, que pode levá-lo para onde quiser. Ou seja, até se você for acampar, pode levar o ovo em pó sem problemas.

Ainda, por ser fácil de carregar para qualquer lugar, a versão em pó do alimento também pode ser usada para suplementar com proteínas outros alimentos ou refeições no dia a dia. Basta você despejar um pouco do pó no prato e pronto!

Outra razão pela qual o ovo em pó ganhou popularidade é o fato de ele ser mais seguro na alimentação, devido à redução das chances de contaminação por salmonella, por exemplo, ou outras bactérias.

Por último, como se não bastassem todos esses benefícios, o ovo em pó também pode por um valor mais em conta para os empresários do ramo alimentício, uma vez que com um quilo do alimento é possível obter até 80 porções de ovo frito ou mexido, em um total de 51 gramas cada.

Vantagens e desvantagens

Vantagens do ovo em pó:

  • Reduz o risco de contaminação por salmonella ou qualquer outra bactéria presente em alimentos crus;
  • Rende mais: um quilo pode virar 80 porções de ovo frito ou mexido, com 51 gramas cada;
  • Não muda a cor ou sabor do alimento, se comparado à versão in natura;
  • Possui os mesmos valores nutricionais do ovo in natura;
  • Pode ser transportado mais facilmente para qualquer lugar.

Desvantagens do ovo em pó:

  • É preciso um maior cuidado com o armazenamento;
  • Possui um preço mais alto em comparação à versão in natura.

Como fazer ovo em pó em casa? Aprenda passo a passo

Anteriormente, você já aprendeu como o ovo em pó é feito em indústrias, o que pode tornar o produto um pouco mais caro para o consumidor. Por isso, em vez de comprar o ovo em pó por um preço mais alto, a dica é tentar produzi-lo em casa, como vamos te ensinar a seguir.

Ingredientes:

  • 90 ml a 180 ml de água;
  • 12 ovos grandes.

Como fazer:

1º passo: Preparando os ovos

Com ovos crus

Separe as gemas das claras. Em seguida, bata-as com a ajuda de um garfo. As gemas precisam ficar espumosas e espessas, enquanto as claras devem formar cristas rígidas.

Com ovos mexidos

Já para quem preferir usar ovos já prontos, a dica é partir os ovos ainda crus e batê-los em seguida com um garfo. Depois, despeje-os em uma frigideira antiaderente (sem óleo ou manteiga) e deixe-os cozinhar por alguns minutos. Você pode agitar a panela com frequência, até sentir que os ovos se assentaram, mas continuam macios.

Com ovos cozidos

Outra forma de fazer ovo em pó é usando ovos cozidos. Neste caso, quem optar por essa forma de preparo deve cozinhar os ovos por 10 a 12 minutos em água fervente. Depois desse tempo, será preciso resfriá-los em água gelada imediatamente após saírem da panela, descascá-los e cortar as gemas e claras em pequenos pedaços.

2º passo: Desidratando os ovos

Com desidratador

Dentro de cada uma das formas de desidratação, coloque os discos de plástico com aros, principalmente se você estiver utilizando ovos crus. Neste caso, colocando os discos de plástico dentro dos recipientes, a borda rasa vai evitar que o líquido seja derramado para fora da forma.

Feito isso, despeje os ovos nas formas, formando camadas finas, de preferência. Caso você prefira usar ovos cozidos ou mexidos, a dica é espalhar de maneira uniforme os pedaços pelas formas, formando uma única camada.

Agora, é só levar as formas até o desidratador, aquecido a uma temperatura alta, entre 57°C e 63°C. Deixe-os desidratar até que estejam bem crocantes, parecidos com migalhas secas e grossas. No caso dos ovos crus, esse procedimento deve levar de 8 à 10 horas. Já para quem está usando ovos cozidos, o tempo aumenta um pouco, podendo levar de 10 à 12 horas.

Com forno

Você também pode desidratar os ovos usando um forno, em temperatura mais baixa, de cerca de 46°C. Porém, se o seu forno permitir apenas a temperatura mínima de 77°C, esse passo a passo não será útil para você.

Seguindo, agora basta despejar os ovos em formas antiaderentes e com bordas rasas. Mais uma vez, vale lembrar aqui que não é preciso untar as formas com óleo ou manteiga. Se estiver usando ovos crus, é ideal formas camadas finas nas formas. Já no caso dos ovos cozidos, será necessário espalhar os pedaços pelas formas de maneira uniforme, formando uma única camada.

No forno, aqueça os ovos até que eles fiquem crocantes. O tempo médio do processo no forno é de 6 à 12 horas. Durante este tempo, a dica é mexer os ovos a cada duas horas para conseguir uma secagem mais uniforme.

3° passo: Moer, armazenar e reconstruir

Agora, o último passo é colocar os ovos já desidratados em um processador ou liquidificador em potência alta, por, pelo menos, dois minutos, para moer.

Você deverá obter uma consistência de pó. Outra ideia para quem não tem liquidificador ou processador de alimentos é moer os ovos com um pilão ou moedor de sementes. É claro que esse método pode demorar mais e exigir mais esforço físico, mas é possível chegar ao mesmo resultado dos dois aparelhos.

Depois de bater os ovos no processador ou liquidificador, é só despejá-los em um recipiente hermético, isto é, bem higienizado e com tampas apertadas. Preencha completamente o recipiente, até que não sobre nenhum espaço vazio.

Feito isso, agora leve o recipiente para um lugar escuro e fresco, como é o caso de um armário ou despensa ou, melhor ainda, uma adega. Caso não seja possível guardá-lo em nenhum desses locais, uma geladeira também pode se útil.

O armazenamento feito de maneira correta é importante para que os ovos em pó possam ser consumidos pelos próximos meses com segurança, podendo prolongar o consumo por até dois anos após o preparo.

Já no caso de armazenamentos mais longos, a dica é colocar os ovos em pó em um freezer, para fazer com que durem até cinco anos ou mais. Só tome a precaução de guardar o alimento em um recipiente que seja à prova de congelamento.

E aí? Gostou de saber tudo sobre o ovo em pó? Então, compartilhe esse artigo nas suas redes sociais para que os seus amigos também conheçam esse tipo de alimento.

Até a próxima!

Faça um Comentário!

Clique aqui para postar um comentário